segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Consumo de Carboidratos e o Aumento na Taxa de Gordura Corporal (Parte 2)

No primeiro tópico abordado relatei que o aumento nos níveis de gordura corporal ocorre quando o indivíduo apresenta uma ingestão calórica superior em relação ao seu gasto energético diário a longo prazo, sendo que este excesso pode ocorrer através do consumo de carboidratos, proteínas e gorduras.

A glicose entra na circulação sangüínea, estimulando a produção de um hormônio denominado insulina. Este hormônio possui a função de estimular a captação de glicose no músculo esquelético, tecido adiposo, fígado e coração.
A glicose pode seguir dois caminhos distintos nos tecidos após a alimentação, podendo ser convertida em energia através da sua oxidação ou ser armazenada como glicogênio. O glicogênio é um composto formado por várias moléculas de glicose aderidas umas as outras.
O glicogênio apresenta um limite de armazenamento. Assim, o excesso de carboidrato ingerido seria direcionado para a formação de gordura quando os tecidos estivessem com seus estoques lotados de glicogênio. Assim, o acúmulo de gordura corporal ocorrido através do excesso de carboidratos serviria como uma “válvula” para a estocagem deste excesso ingerido.
No entanto, a literatura científica ainda não sabe até que ponto a formação de gordura através do excesso de carboidratos poderia contribuir para o aumento nos níveis de gordura. Existe um aumento inicial da massa corporal com uma dieta rica em carboidratos, mas este incremento pode estar relacionado à elevação nos estoques de glicogênio. O aumento neste estoque eleva os níveis de água dentro da célula. Além disso, o excesso de carboidratos ingeridos não é armazenado de forma tão eficiente como gordura quanto o excesso de calorias advindo da gordura.
A gordura é o nutriente que tem a menor capacidade em produzir a sensação de saciedade. Alimentos com maior teor de gordura apresentam uma maior valor calórico, uma vez que uma grama de gordura possui nove Kcal, sendo que uma grama de carboidrato e proteína apresenta quatro kcal cada um.
Alguns autores afirmam que não ocorre a conversão do excesso de carboidratos em gordura. Na verdade, o aumento na utilização de glicose como fonte de energia através da sua oxidação (processo estimulado pela insulina) após a alimentação rica em carboidrato causaria um efeito supressor na oxidação de gordura durante o repouso. Este processo a longo prazo acarretaria o aumento nos níveis de gordura corporal.
Além disso, a eficiência da conversão do excesso de carboidrato em gordura também é discutido entre os diferentes tecidos. Também não se sabe qual o papel que cada tecido apresenta em converter o excesso de carboidrato ingerido em gordura.
Assim, mais pesquisas são necessárias para averiguar a real importância do consumo de carboidrato no aumento dos estoques de gordura.
Referência utilizada:
Waldecir Paula Lima – Lipídios e exercício: aspectos fisiológicos do treinamento – Phorte Editora – 2009.
Links relacionados:
Prof. Brunno Arnaut
Cref: 051334-G/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário